• DESTAQUE DA SEMANA

1 de setembro de 2015

#MulheresDoAxé90

MULHERES DO AXÉ (ANOS 90)


Mulheres que deram continuidade ao legado deixado pelas primeiras cantoras que surgiram nos trios elétricos baianos nos anos 80, com o axé totalmente comercializado e na boca do grande público, os anos 90 deram ao ritmo as maiores cantoras do ritmo musical que conquistou todo o Brasil.


DANIELA MERCURY (1991)


Daniela Mercury é cantora, compositora, dançarina e produtora musical. Em sua carreira solo, Mercury vendeu mais de 20 milhões de discos em todo o mundo. É vencedora de um Grammy Latino, por seu álbum Balé Mulato - Ao Vivo, recebeu também seis Prêmio da Música Brasileira, um prêmio pela APCA, três prêmios Multishow e dois prêmios pelo VMB, de melhor videoclipe e fotografia.

Em 1991, Mercury lançou seu álbum auto-intitulado, que foi seguido por O Canto da Cidade um ano depois, alavancando sua carreira como artista nacional e levando o axé music à evidência. Com o passar dos anos, Mercury lançou vários álbuns, gerando grandes singles como "Swing da Cor", "O Canto da Cidade", "À Primeira Vista", "Rapunzel", "Nobre Vagabundo", "Ilê Pérola Negra (O Canto do Negro)", "Mutante", "Maimbê Dandá", "Levada Brasileira", "Oyá Por Nós", entre outros. Ela gravou um DVD comemorativo de 25 anos no reveillon da Praia de Copacabana e e também participou de um dos maiores eventos do musicais do mundo, o Festival de Jazz de Montreal. Além disso, Mercury foi convidada para participar do DVD de Alejandro Sanz, e cantar com Paul McCartney, em Oslo, na Noruega, durante a entrega do Prêmio Nobel da Paz.




Em 2009 a cantora lançou o seu Álbum denominado Canibália, junto com o álbum, Daniela lançou uma turnê internacional, que até hoje, totaliza mais de 23 apresentações. O álbum gerou três singles, até agora, "Preta", com Seu Jorge, "Oyá Por Nós", com Margareth Menezes e "Sol do Sul". Neste mesmo ano, Camille Paglia, escritora e uma das mais importantes intelectuais na área cultural, e que nutria uma "paixão" intelectual por Madonna, declarou que Daniela Mercury é a artista que Madonna gostaria de ser.

Em 2011 o canal de TV americano, CBS, elegeu Daniela Mercury como a "Carmem Miranda dos novos tempos".O álbum Canibália que havia sido lançado nos Estados Unidos rendeu uma crítica do jornal The New York Times que diz: “Daniela Mercury ultrapassa os conceitos que foram exaltados durante a sua carreira (…) com um pop contemporâneo, abraçando a pluralidade étnica e cultural do Brasil (particularmente a cultura afro-brasileira, embora Daniela Mercury seja branca), lembrando o passado e transformando-o."



IVETE SANGALO (1993)


Ivete Maria Dias de Sangalo é cantora, compositora, instrumentista, atriz, apresentadora, dubladora, produtora, empresária e escritora brasileira. Alcançou sucesso ainda como vocalista da Banda Eva, vendendo mais de 4 milhões de discos, e chegando a fazer cerca trinta shows por mês. Em sua carreira solo, já vendeu mais de 15 milhões de cópias, totalizando cerca de 20 milhões de cópias em toda sua carreira (contando com o período da Banda Eva), se transformando em uma das maiores artistas com vendagem de discos no Brasil.


Ivete é mais frequentemente reconhecida pela sua poderosa voz, carisma e notáveis performances durante os seus shows, apontada como uma "grande estrela" nacional. Em sua carreira, recebeu 15 indicações ao Grammy Latino, tendo ganhado três vezes, uma de 'Melhor Álbum Brasileiro de Raízes/Música Regional' em 2005, e os últimos, conquistados em 2012 e 2014, respectivamente, por 'Melhor Álbum de Música Popular Brasileira' pelo especial Ivete, Gil e Caetano, e 'Melhor Álbum de Música Pop Contemporâneo' por Multishow Ao Vivo - Ivete Sangalo 20 anos e é recordista do Prêmio Multishow, contabilizando 13 conquistas, também sendo a artista mais premiada nos "Melhores do Ano" da Rede Globo, com onze troféus, sendo oito de 'Melhor Cantora' e três de 'Melhor Música'.




Em 1999, chegou às lojas o álbum homônimo Ivete Sangalo, gerando um disco de ouro, primeiro da carreira solo da cantora, com vendagem de mais de 100 mil cópias. Desse álbum, foi extraído o single "Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim", canção romântica que alavancou sua carreira. Com o passar do anos, Sangalo lançou vários álbuns, gerando grandes singles dos mais variados ritmos como "A Lua Que Eu Te Dei", "Festa", "Sorte Grande", "Flor do Reggae", "Abalou", "Quando a Chuva Passar", "Berimbau Metalizado", "Não Precisa Mudar", "Deixo", "Cadê Dalila?", "Agora Eu Já Sei", "Na Base do Beijo", "Acelera Aê" entre outros. Em 2008, a cantora ganhou o status de "Maior vendedora de DVDs do mundo em 2007", ao atingir a incomparável marca de 604 mil cópias vendidas com seu DVD ao vivo no Maracanã. Ela deixou para trás bandas como Nirvana, que vendeu cerca de 174 mil cópias com o DVD Unplugged in New York. Ivete é conhecida internacionalmente, tendo feito diversos shows em países como Portugal, Espanha, Alemanha, Suíça, Itália, Angola, Estados Unidos, Paraguai, Argentina, Uruguai, Canadá e Japão.


Ivete Sangalo foi comparada pelo jornal americano The New York Times a Janis Joplin e Tina Turner, a cantora é descrita como uma "belter", ou seja, alguém que utiliza uma técnica vocal de volume alto e notas musicais agudas. Além disso, é reconhecida como extremamente popular no Brasil, mesmo fora dos palcos.Em 2012, Ivete Sangalo foi eleita a 100ª maior voz brasileira de todos os tempos, pela revista Rolling Stone Brasil.

CARLA VISI (1996)



Em 1990 recebeu o convite para substituir Daniela Mercury na Companhia Clic, banda baiana de grande repercussão na época, com a qual gravou três discos. Em 1996, convidada para substituir Márcia Freire nos vocais da Cheiro de Amor,Carla Visi estreou com três músicas que se tornariam três dos clássicos da banda, É demais meu rei, Vai sacudir vai abalar e, Abre coração, do CD "É Demais Meu Rei".

Em 1997, o "Banda Cheiro de Amor ao Vivo" atingiu a marca de um milhão e quinhentas mil cópias. Gravou ainda Me Chama, 1998, e seu quarto e último trabalho com a banda foi o Cheiro de Festa ao Vivo", de 1999.


Ainda como vocalista da banda Cheiro de Amor, Carla Visi fez diversas participações, em projetos paralelos, como o disco Axé Caê - Jovens Baianos Cantam Caetano (1996), com a música "Qualquer Coisa". Também, no mesmo ano, regravou "Coração Bobo" para o CD Forró Legal. Em 1997 foi a vez de participar do CD Tropicália 30 anos, uma homenagem a esse movimento que propiciou uma revolução na música brasileira, com a música "Geléia Geral". Em 1999, foi convidada a participar de outro projeto da Universal Music, gravando com Martinho da Vila o samba "O Amor Não É Brinquedo", no CD Casa de Samba 03. No ano 2000 partiu para a carreira solo.




Em 2001, um novo convite, dessa vez emprestando a voz para uma releitura e homenagem a Gilberto Gil, num projeto da gravadora Universal/MZA, em Carla Visi Visita Gilberto Gil. "Por Todo O Canto", lançado em 2004, rendeu uma turnê no Japão pela RCA/Victor e na Europa pela Som Livre portuguesa. Em 2009, gravou o disco Carla Visi E Eu, que por questões burocráticas não foi lançado oficialmente. O mais recente trabalho da cantora baiana é uma homenagem a umas das maiores intérpretes brasileira, Clara Nunes. Lançado em 2013, pela Sony Music, Pura Claridade é um disco biográfico onde cada faixa foi retirada de um disco da mineira, lembrando que a mesma lançou 15 discos em sua carreira. É composto por mais duas faixas em homenagem à mineira mais baiana do Brasil, além de contar com participações especiais de Daniela Mercury, Thiaguinho, Pinha, Péricles, Xande de Pilares e Paula Fernandes.


A cantora também vem participando das comemorações internacionais do Brazilian Day. Já esteve no primeiro Brazilian Day London (2010), no Brazilian Day Portugal (2011), no Brazilian Day New York (2013), e no Brazilian Day San Diego (2014).


EMANUELLE ARAÚJO (1999)



Emanuelle Araujo começou sua carreira aos dez anos fazendo teatro com a Companhia Interarte. Em 1993, aos 17 anos, engravidou e teve sua filha, a menina Bruna. Após cursar dois anos de biologia na Universidade Federal da Bahia e mais dois de artes cênicas, a oportunidade de Emanuelle apareceu em 1999 ao substituir a cantora Ivete Sangalo na Banda Eva. Durante esse período, a cantora foi garota propaganda de uma rede de lojas da Bahia e trabalhou como repórter num documentário sobre o Carnaval de Salvador. Recebeu o prêmio de cantora revelação do carnaval de Salvador do ano 2000.

Lançou em 1999 o CD "Ao vivo Parte II" onde a Banda Eva lançava grandes sucessos em formato ao vivo, que ficaram de fora do primeiro ao vivo que tinha Ivete Sangalo em seus vocais, e nas novas canções os sucessos "Pra lá e pra cá", "Chuva de Verão" e "Oh Dó" ganharam destaque e fizeram sucesso entre o público.

Em 2000, lançou o segundo álbum com a Banda Eva, o  "Experimenta", que emplacou os sucessos "Levada do Amor" My Love" e "Quem ama" e figuram entre os melhores discos de axé de todos os tempos, segundo a revista Rolling Stones. 




Com a Banda Eva Emanuelle participou de grandes festivais, como o de Montreux, Festival de Verão de Salvador por três anos consecutivos e em festivais de vários outros países como Alemanha, Hungria, Itália e Portugal. Puxou grandes Blocos no carnaval de Salvador entre eles o tradicional Bloco Eva, NU Outro Eva e A barca. Em 2002, Emanuelle deixou a Banda Eva parar seguir carreira em uma banda de pop rock, passando os vocais da banda para o cantor Saulo Fernandes.


Em 2007, a cantora fez seu primeiro trabalho na TV, como Clotilda, na novela Pé na Jaca. No mesmo ano, ganhou destaque ao interpretar Rosa, protagonista do filme Ó Paí, Ó ao lado do ator Lázaro Ramos.


Atualmente a Emanuelle canta junto com a a banda Moinho, da qual fazem parte a percussionista Lan Lan e o guitarrista Toni Costa. O primeiro single da cantora, Esnoba, foi lançado em 2007 e ficou no topo do Hot 100 Brasil por três semanas consecutivas, fazendo com que a música concorre a melhor canção do ano, nos "Melhores do ano da Rede Globo". 

GILMELÂNDIA (1998)


Gil passou uma infância pobre, tendo uma família humilde, Gil sempre nutriu o sonho de ser artista, mesmo contra a vontade da mãe que, segundo a cantora, lhe dava surras de caçarola para que desistisse do sonho.
Na adolescência começou a fazer serviços domésticos em Brotas, bairro de classe média de Salvador, sendo que na mesma época se formou no magistério e se tornou professora.

Em 1990, aos 15 anos, uma vizinha lhe apresentou o músico Tom Caldas, após ouvir Gil cantar diversas vezes, sendo que o cantor se tornou seu parceiro musical e futuramente namorado. Ainda com o impedimento da família, que temia o envolvimento da cantora com bebidas e drogas, Gil passou a cantar escondida em bares e festivais junto com Tom, fugindo de casa para se apresentar. A dupla tinha apenas um equipamento de som que carregavam e instalavam. Conciliando com a dupla, Gil integrou outras bandas como Pinote, Jóia (banda) e Laranja Mecânica. Em 1997 se separou da dupla com Tom Caldas, encerrando sua carreira independente em um último show Lagoa do Abaeté, após assinar com a Universal Music para ser a nova vocalista da Banda Beijo.





Em 1998 Marquinhos Carvalho, backing vocal do cantor Netinho ouviu uma fita K-7 de Gil gravada independente e levou para o cantor, que procurava um novo vocal para a Banda Beijo, grupo que tinha saido em 1992 para seguir carreira solo e estava parado desde então sem um vocalista ou gravação de álbuns. Após contatar Gilmelândia e assinarem com a Universal Music para lança-la como a nova cantora da Banda Beijo, a gravadora lhe sugeriu que usasse como nome artístico apenas Gil, para melhor compreendimento do público. A cantora passou por nove meses de preparação de canto e dança, além de emagrecer dez quilos e cortar os cabelos longos em forma de cocós (birotes amarrados com fios de arame). O guarda-roupas passou também por uma transformação, trocando os vestidos colados por calças folgadas, aderindo ainda tatuagens de hena e piercing, compondo um visual andrógino, inspirado na juventude londrina, tendo o novo visual assinado pelo estilista gaúcho Miguel Carvalho.

Ainda em 1998 a Banda Beijo lança seu primeiro álbum com Gil nos vocais, o Banda Beijo Ao Vivo em balado pela canção "Peraê", que rapidamente alcançou o primeiro lugar no Hot 100 Brasil, sendo que em outubro a banda estreia sua primeira turnê com a nova formação no Rio de Janeiro. Nessa época Gil ficou marcada pela frase "Não é Banda Beijo? Então tem que ter beijo", incentivando as pessoas a se beijarem no show enquanto cantava o sucesso "Beijo Na Boca", canção dos tempos de Netinho como vocalista.[7] Em 1999 a banda lança seu segundo álbum com a cantora, intitulado Meu Nome é Gil e, em 2000 lança o terceiro e último álbum com Gil como vocalista, embalado pelo sucesso "Bate Lata", antes da cantora deixar a banda para seguir carreira solo, aconselhada por seu empresário e pelo cantor Netinho[8]


Em 2002 Gil lança seu primeiro álbum solo, Me Beija, saindo logo com o primeiro single estourado em todo Brasil, a canção "Maionese", alcançando o primeiro lugar no Hot 100 Brasil e tornando-se uma das canções mais executadas do ano. Em 2003, menos de um ano depois, lança o segundo álbum, Movimento, tendo como maior sucesso do álbum a canção "Miau", sendo que as vendas do álbum estiveram muito abaixo do primeiro e, em 2004 a cantora lança seu primeiro álbum ao vivo, trazendo uma releitura da canção "Você Não Me Ensinou a Te Esquecer". Em 2005 voltou ao cenário musical embalada pela canção "Chegou o Verão", presente no álbum O Canto da Sereia que estreiou em 1° lugar no hot 100 Brasil, e levou Gil a vencer o prêmio da Música Popular Brasileira como melhor cantora. 


CARLA CRISTINA (1999)


Carla Cristina desde da infância se interessava pela música e sonhava em cantar no Carnaval em trios elétricos, mas foi apenas aos 12 anos que começou a cantar em bares e festivais por toda Salvador. Em 1993, aos 15 anos, subiu pela primeira vez em um trio elétrico como vocalista da Beer Banda. Em 1996, como vocalista da banda Papa Léguas, ganhou o troféu Dodô e Osmar de cantora revelação. Em 1997 junto com um grupo de amigas viria a formar a banda que à tornaria conhecida em todo Brasil.


Em 1997 Carla e oito amigas passaram a tocar juntas nas noites de Salvador, fazendo diversas apresentações em barzinhos e pequenos festivais, ainda como um grupo de forró. O grupo, conhecido apenas como As Meninas era composto por Carla nos vocais junto com Angélica e Cibele como backing vocals e dançarinas, Fernanda no baixo elétrico, Jujuba no saxofone e Ratinha, Titi e Dilmara como percussionistas, manuseando diversos instrumentos como tambor, bongô, ganzá e chocalho, o grupo lançou naquele mesmo ano seu primeiro disco As Meninas no Forró. Na ocasião, ainda não tinha contrato com uma grande gravadora, o disco foi lançado apenas no nordeste do país. Em 1999 a banda entra no circuito da axé music e assina com a Universal Music para seu lançamento nacional. Após uma reformulação de sonoridade e visual, é lançado o disco Xibom Bombom em 15 de maio de 1999, vendendo em torno de 400 mil cópias e atingindo o disco de ouro. A faixa título, "Xibom Bombom", alcançou o primeiro lugar nas rádios brasileiras e recebeu diversos covers de artistas como Márcia Freire, Cheiro de Amor (na época, comandada por Carla Visi), Ivete Sangalo e Margareth Menezes na época. Logo após a canção "Feijão com Arroz" é liberada como single, sendo uma homenagem à comemoração de aniversário do de 50 anos do trio elétrico. Pouco antes do Carnaval de 2000 é lançada a canção "Samba da Nega Maluca", que se torna um dos maiores sucessos daquele ano.





Em 11 de dezembro de 2000 lançam o disco Tapa Aqui, Descobre Ali[3] , vendendo em torno de 100 mil cópias. O álbum trouxe como tema do Carnaval de 2001 a faixa-titulo "Tapa Aqui, Descobre Ali", novamente fazendo uma brincadeira com a cultura popular mesclado à problemas socio-economicos. A canção atingiu o primeiro lugar nas rádios brasileiras, repetindo o bom desempenho do disco anterior. Posteriormente a faixa "Clube das Meninas" foi liberasda como segundo single, onde eram apresentadas as integrantes na composição, e por fim "Dança do Esquisito". Em 10 de fevereiro de 2002 é lançado o último disco do grupo, Loucas Por Você, embalado pelos singles "Largadinho e "Balanço da Roseira". O disco foi lançado em meio à conturbadas discussões entre os empresários e Carla Cristina, que cobrava uma maior liberdade para as garotas tomarem suas próprias decisões e não serem manipuladas. No final daquele ano, o contrato da vocalista com o grupo chega ao fim e, por decisão de ambos não é renovado. No final daquele ano Carla deixa o grupo em direção à carreira solo, amparada pela Universal Music.


Em 2003 Carla Cristina lança seu primeiro álbum de estúdio pela Universal Music, Brasileira, onde ganhou destaque com as canções "Quero Brincadeira" e "Grades do Coração". Em 1 de dezembro de 2005 faz uma homenagem à Bahia com o disco Coisas do Axé - Ao Vivo, seu primeiro registro ao vivo desde o início da carreira em 1997. Após o carnaval de 2008, a cantora se junta à banda Tribahia para assumir os vocais no álbum A Tribo, trabalho que veio à ser realizado até 2009. No mesmo ano retoma a carreira solo com o lançamento do álbum promocional auto-intutilado Carla Cristina, em 7 de dezembro daquele ano.[4] O disco, inspirado nas composições de Baby Consuelo , ganhou destaque nas canções "Brasileira", "Telúrica" e "Hit Descarado". Em 4 de maio de 2012 lança a canção "Vai Viver Sem Mim", composta e produzida por Djobson Show.